A novidade que veio para ficar em Cirurgia Vascular - procedimentos guiados pelo ecodoppler

Agosto 2015

 

A imagem dos aparelhos de ultrassonografia com doppler melhorou substancialmente nas últimas décadas, especialmente em relação à resolução e à velocidade de processamento. Os aparelhos foram diminuindo de tamanho e mantendo um bom padrão de qualidade. Essas melhorias chegaram até os aparelhos portáteis e permitiram com que eles fiquem sempre disponíveis para qualquer tipo de utilização, devido ao seu tamanho reduzido semelhante a um "notebook".

 

Atualmente podemos utilizar esses aparelhos no consultório e no centro cirúrgico de forma prática. No consultório podemos orientar, através da imagem do Ecodoppler, a punção da veia safena para a aplicação de espuma densa em tratamentos para varizes. Com ele também podemos acompanhar a propagação da espuma no interior da veia e analisar todos os segmentos tratados. 

 

No centro cirúrgico, ainda no tratamento de varizes realizamos o mesmo tipo de punção guiada das safenas para permitir a utilização de cateteres de Laser e de Radiofreqüência para o tratamento do refluxo. Acompanhamos também toda a progressão desses cateteres e determinamos a posição correta para um tratamento seguro e eficaz.

 

Ainda no campo das punções venosas guiadas, o ecodoppler permite que em procedimentos para instalação de cateteres para hemodiálise, quimioterapia ou infundir medicamentos seja visualizada a entrada da agulha diretamente na veia profunda, sem danificar outras estruturas, especialmente as artérias. Além de tornar o procedimento mais seguro, torna-o mais fácil e rápido.

 

Para tratamentos arteriais, podemos também orientar a entrada da agulha de punção na artéria nos procedimentos de cateterismo. Isso diminui bastante a chance de termos insucessos e complicações desse tipo de punção. Alguns tratamentos, como colocação de stents, filtros de veia cava e até endopróteses já podem ser realizados exclusivamente ou pelo menos com o auxílio do Ecodoppler diminuindo muito a exposição do paciente e da equipe médica à radiação gerada pelos aparelhos de raio x (fluoroscopia / intensificador de imagem) geralmente utilizados nesses procedimentos. O uso de contraste também pode ser reduzido diminuindo a chance de danos aos rins.

 

Portanto, para garantir o sucesso dos procedimentos realizados e torná-los cada vez mais seguros, o uso do ecodoppler se tornou uma arma indispensável no universo da cirurgia vascular.